Traga uma escadinha

Fevereiro 1st, 2010
A loja tem uma área razoável, a rua tem algum movimento e a exposição solar é agradável.
Eleve o seu negócio para um espaço de nível superior, mas… traga uma escadinha se estiver interessado, está bem?
Vai ver que até é mais giro assim.
E os seus futuros clientes vão adorar a ideia!
Se não tiver escadinha, mas continuar interessado… dê cá um saltinho, e logo se vê.

Diagnóstico automóvel

Janeiro 19th, 2010

Ontem e hoje tive uma viagem de trabalho muito sui generis.

Antes de completarmos cem quilómetros de percurso, os ponteiros da velocidade e conta-rotações caíram para zero e a informação do display digital desapareceu, mas o carro continuou a andar bem, foi só como se tivesse desmaiado.
Pouco tempo depois acendeu a luz indicadora de avaria no ABS e aí paramos por uns instantes.
Ao ligar o carro novamente já estava tudo normal.
Passado pouco tempo acendeu a luz de avaria no motor.
Desliga-se outra vez e torna-se a ligar e volta tudo ao normal.
O processo repetiu-se algumas vezes durante a viagem, tendo acendido de forma aleatória as luzes já citadas e também as de avaria no controle de tracção, da pressão do óleo, dos travões e do grupo motopropulsor, repetindo de vez em quando uma ou outra.
Aparentemente era hipersensibilidade do carro em relação a alguns sintomas que pudesse ter, e algum alarmismo, porque conseguimos chegar aos destinos pretendidos sem que nenhuma ameaça de avaria se concretizasse.
Foram mais de mil e trezentos quilómetros, entre hoje e ontem, e no final apenas um diagnóstico possível:
o carro é hipocondríaco.

Novas habilitações

Janeiro 13th, 2010
Fui alterar a minha morada da carta de condução e fui informado que a nova carta já viria com a indicação da minha habilitação para conduzir veículos do tipo A1, ou seja, veículos de duas rodas até 125 cc.
Como nunca fiz nenhum teste para comprovar as minhas aptidões motards fiquei surpreendido, e acho que só ficou a faltar um cumprimento efusivo do género “Parabéns! Acabou de aprender a andar de mota!”.
Mas não, foi uma informação passada muito a frio, sem emoção.
Acho muito injusto que ninguém tivesse tido a iniciativa de me informar que eu sabia andar de mota há mais tempo.
Já viram se eu estivesse à espera que a carta caducasse?
Só em 2042 é que ia ficar a saber que tinha aprendido a conduzir um veículo de duas rodas.
Seja como for, fiquei contente, até porque eu até sei andar (mesmo) de mota e pode dar jeito.
É espantosa a facilidade com que agora se adquirem habilitações, sem nos fazerem qualquer tipo de teste.
Quer dizer que o Estado anda atento às nossas capacidades, nos reconhece competências e é pró-activo na oficialização das mesmas.
Estou tentado a ir pedir um novo certificado de habilitações à Universidade, para confirmar se andam de facto atentos e se me presenteiam com uma pós-graduação ou um doutoramento.
Nunca se sabe!

Gelar a conversa

Janeiro 12th, 2010
Assisti e esta conversa entre três amigas no último domingo, num espaço comercial com café, onde me encontrava, enquanto nevava em Braga.
A última frase é proferida por um homem que ninguém percebeu de onde veio, nem o à-vontade com que se introduziu na conversa.

Mulher 1 – Taunta neve! É tão bonito, num é?
Mulher 2 – É um pétáculo!
Mulher 3 (a mostrar irritação) – Vós parece que nunca bisteis neve! Nunca bisteis neve?
Mulher 2 – Cláro! Mas acho sempre munto bonito.
Mulher 1 – Tu num gostas de neve?
Mulher 3 (já mais calma) – Gosto. Mas já vi muita. Habieis de ter estado em Felgueiras quando eu tava lá a trabalhar. É que nevou, uma vez!
Mulher 2 – E na Serra da Estrela? Na Serra da Estrela é que neva!
Homem (em tom muito alto e bruto) – Óóóó! E isso é alguma cuoisa??? Ide pa Fraunça que vós indes ber!

A partir daqui foi só um imenso silêncio e olhares trocados de soslaio, a mostrar constrangimento mútuo, e sem olhar mais para a neve.

Quanto a mim, limitei-me a observar, mas achei que devia partilhar com vocês este rebuçadinho sociológico.

Jogão

Outubro 16th, 2009
Atenção petizada!
Vai haver um jogão numa rua do Bairro da Alegria.
Daqueles jogões que provocam emoções muito fortes e que pode ser bastante perigoso para os vossos jovens corações inexperientes.
Nunca se sabe quando é que nestes jogos rebentam petardos, caem guarda-chuvas no terreno de jogo ou aparece alguém nu a atravessar o campo a correr.
Vai ser muito intenso e os vossos papás vão chamar muitos nomes feios ao senhor que vai estar a dizer se é falta ou não.
Até já há cartazes a anunciar esse jogão… com letras a vermelho e tudo!
Por isso tenham muito cuidado e fiquem em casa, porque é um jogo mesmo muito perigoso.