A Guerra dos Saldos

Dezembro 28th, 2009
Depois da época de paz, amor e harmonia que se vive no mundo por altura de Natal, vem a abertura oficial dos saldos de Inverno.
Custava muito manter o espírito natalício, custava muito continuar a viver sem hostilidade e belicismo?
Aparentemente sim.
E por isso é que se fazem saldos.
Toda a gente sabe que a indústria da guerra é a mais rentável do mundo, suplantando a venda de drogas e o negócio do sexo pago, e é por isso que o comércio inventou os saldos.
Os comerciantes inspiraram-se no modelo de sucesso do mercado da guerra e decidiram incutir na população o prazer pela confrontação, incentivar o guerreiro dentro de cada um de nós a travar a luta desenfreada pela melhor peça ao melhor preço, fazem fluir nas pessoas a adrenalina de uma batalha em que objectivo é comprar muito e gastar pouco, como se os artigos fossem inimigos tornados reféns e o dinheiro as balas escassas que devem gerir com parcimónia.
Há até quem já assuma frontalmente que só compra em período de saldos, não pelo preço baixo das coisas, mas porque só dá gozo comprar se o próprio acto da compra constituir um desafio.
É o salde-se quem puder!
E é aqui, minhas amigas e meus amigos, que vemos que as mulheres não tardarão a conquistar o mundo.
São verdadeiras gladiadoras dos tempos modernos, transformando as lojas em autênticos coliseus romanos, onde só uma poderá sair como verdadeira vencedora.
Analisam e escolhem os alvos com rigor e estabelecem o plano de ataque com meses de antecedência.
Agarram-se ao objectivo e lutam por ele até às últimas consequências, evitando, ágeis, todas as possíveis opositoras.
Mostram a sua persistência, não se dando como vencidas e correndo de imediato para outra superfície comercial para ver se conseguem dominar esse território.
Conseguem passar dias inteiros nesta luta, muitas vezes descurando a alimentação ou a vida familiar, resistindo às adversidades loja após loja.
É tão importante esta guerra que travam que é usual vê-las depois a mostrar umas às outras, qual veterano de guerra, o espólio recolhido, gabando-se do pouco que tinham para gastar para conseguir esses objectivos, das manobras que realizaram e dos sacrifícios que tiveram de fazer e lembrando com saudade guerras de anos anteriores em que foram bem sucedidas.

Terrorismo visual

Dezembro 22nd, 2009
Rezam as notícias que Abel Xavier se converteu ao Islamismo.
Até aqui tudo bem.
O que eu acho que é de recear é que os extremistas islâmicos, ao conviverem mais de perto com ele, se lembrem de adoptar o seu estilo.
É que, se assim for, abre-se uma nova página na história dos atentados terroristas com a introdução de uma nova técnica: o terrorismo visual.
Será difícil imaginar como sobreviveremos se de repente começamos a ver os espaços públicos pejados de seguidores desta linha, retirando freneticamente os lenços da cabeça para ostentar o penteado oxigenado e com cortes estranhos.
Pode ser embirração minha, mas eu acho isto um susto de morrer!

O maior mastro do Mundo

Dezembro 19th, 2009
Há poucos dias veio a público a notícia de que a Câmara Municipal de Paredes tenciona construir uma mastro com cem metros de altura, para lá içar a bandeira nacional e assim assinalar o centenário da República.
Muitas vozes se levantaram contra esta obra, principalmente por estar estimado o seu custo em um milhão de euros, o que, para muitos, é demasiadamente dispendioso para um simples mastro.
O que essas pessoas não se aperceberam foi do enorme potencial comercial de um mastro destas dimensões.
Bastará rodar um filme pornográfico perto deste mastro, por exemplo num quarto com vistas para o dito, e depois divulgar mundialmente o filme com a informação de que contém “o maior mastro jamais visto num filme”, para se conseguir um extraordinário sucesso comercial e assim podermos passar a designar o dinheiro despendido na construção neste mastro como um investimento e não um custo.
E também não podemos descurar a importância que terá para o ego do macho latino português, que poderá assim gabar-se pelos quatro cantos do mundo que, à falta de melhor argumento:
Temos o maior mastro do Mundo!

Banco imune

Dezembro 8th, 2009
Eu acho que devia haver alguma profilaxia no sector bancário, criando uma instituição mundial que ajude os bancos a prepararem-se para qualquer adversidade, reduzindo a sua volatilidade e tornando-os imunes a situações conjunturais geradas por factores externos à sua estrutura.
A escolha da pessoa encarregue de a liderar é para mim tão óbvia que até tenho tido pudor em revelar esta minha teoria.
Acho até que esta personalidade devia “dar” o nome a esta instituição.
Julgo que a pessoa indicada para tão difícil tarefa seria o secretário geral da ONU, o senhor Ban Ki-moon.

PEZ Cristão

Dezembro 6th, 2009
Por causa da gripe A surgiu nos Estados Unidos (onde mais?) a ideia de criar um distribuidor de hóstias, para ajudar os padres a minorar o risco de contacto com os portadores do vírus.
O utensílio de distribuição é feito em ouro ou prata, e lá são introduzidas diversas hóstias para depois serem distribuídas durante a comunhão, permitindo assim que o sacerdote evite pegar na hóstia com a mão.
Em vez disso, pressiona um manípulo que faz sair uma hóstia para a mão ou para a boca de que vai comungar.
Reparem no potencial de negócio que isto representará para a conhecida marca PEZ, que já distribui desta forma as guloseimas há imensos anos.
Já têm o know-how e a cadeia de distribuição bem montada e portanto, aproveitando a onda, poderão lançar um modelo de PEZ Cristão, dando ainda mais força ao negócio.
Parece que já estou a ver os slogans promocionais “PEZ na Terra aos homens por Ele amados” ou “Vão com PEZ e que o Senhor vos acompanhe” ou ainda “Dou-vos o PEZ, levem o meu PEZ” acompanhados por uma imagem do dispensador, que poderá ser semelhante ao de baixo.