O melhor fica sempre para o fim :)

Julho 2nd, 2009





Mário Crespo no JN

Fevereiro 13th, 2009
Chamou-me a atenção este artigo do Mário Crespo, onde ele põe em causa a actuação do Governo, no seguimento do chamado “caso Freeport”.
E chamou-me a atenção por vir de uma pessoa que normalmente se pauta pela sobriedade, que está no centro da informação e que fornece alguns dados na primeira pessoa (ainda que superficialmente) sobre pressões que ele próprio sofreu.
Apreciei a frontalidade e a forma com pôs o dedo numa ferida que toda a gente parece querer ver tapada ao invés de sarada.
Fez-me reflectir sobre o actual estado político do País, a arrogância extrema do Governo, a falta de alternativas, os tiques ditatoriais do actual executivo, a passividade e desinteresse da maioria da opinião pública, a promiscuidade entre os vários poderes e a impunidade dos altos quadros dirigentes.
Resultado da reflexão: preocupação, indignação e frustação por não ver uma solução e um projecto de País com sustentabilidade.

Buraka Obama

Janeiro 20th, 2009
Em dia de tomada de posse do novo presidente dos E.U.A. ninguém fala de outra coisa.
E eu? Sou excepção?
Mais ou menos.
Para desanuviar um bocadinho, lembrei-me que talvez fosse bom relembrar este sketch d’Os Contemporâneos.
Não se importam?
Esquecíamos um bocadinho os discursos inaugurais, os desfiles, os jantares de gala e as medidas de segurança.
Ok?
Sim? Só boa disposição. Pode ser?
Então vá.

George Bush. Último dia na presidência. A homenagem

Janeiro 19th, 2009
George Bush tem o dom de nos surpreender a toda a hora, sempre pelas piores razões.
No seu último dia na presidência dos E.U.A. fica aqui uma selecção de David Letterman – o Top 10 de gaffes de George Bush – apresentado no jantar da Associação dos Correspondentes da Casa Branca.

P.S. – Acho que ainda falta aqui muita coisa, mas talvez só num Top 1000 fosse possível incluir tudo. Está aqui outra contribuição para que nunca nos esqueçamos desse ícone da política internacional.

Braga a zona franca

Janeiro 3rd, 2009
O líder do Partido Nova Democracia (PND), Manuel Monteiro, defendeu num encontro com o Arcebispo de Braga que este distrito deveria passar a considerado uma zona franca em termos fiscais, como a Madeira.
O argumento é de que o “Minho vive como uma das regiões do país mais afectadas pela crise económica e pelo desemprego”.
Continuou a sua intervenção, alertando que “o PCP e o Bloco de Esquerda estão a tentar transformar Braga na Setúbal do Norte” e salientando que alguns partidos têm uma “estratégia de aproveitamento das crises económicas que se vivem na região para tentar capitalizar isso do ponto de vista político”.
Coisa que o senhor Manuel Monteiro não faz.
Não senhor! Nem pensar nisso!
O líder do PND é um político vivo, activo, presente, com um programa que apresenta propostas concretas e sustentáveis, nada populista ou demagógico, além de ser uma pessoa que muito dificilmente se aproveitará da actual situação para aparecer na comunicação social.
Não me vou alongar em mais comentários, vou apenas deixar uma exclamação que tente exprimir o meu estado de espírito ao ler esta notícia: francamente!