Alive

Julho 12th, 2010

O fim-de-semana que acabou ontem foi muito especial para mim, uma espécie de regresso ao passado, ao campismo, aos festivais e à música que ouvia quando acampava assiduamente.

Já não me lembrava de passar uma noite numa tenda, mas as excelentes instalações do Lisboa Camping, a proximidade do sítio para onde ia à noite e o transporte garantido entre os dois espaços, foram bons argumentos para me fazer voltar ao campismo.

O mote para este regresso foi um festival, onde o destaque do último dia cabia a uma banda com muito significado para mim, que me acompanhou durante toda a adolescência, que seguia sempre comigo nas cassetes que ouvia nessa altura, e que ficará para sempre associada às intermináveis noites de férias e acampamentos da minha juventude.

Ainda hoje é a banda que mais mexe comigo, porque me recorda um enorme rol de experiências, estórias, aventuras e descobertas, e tem o condão de me transportar o espírito para esses tempos.


Para grande alegria minha, os Pearl Jam deram em Algés um concerto memorável, apareceram numa forma fenomenal, com um desfilar interminável de clássicos do seu reportório, com a entrega e a paixão habituais, que enchem a alma.

Depois de milhares de horas a escutá-los ou a vê-los na televisão, esta foi a primeira vez que os vi ao vivo e por isso foi um momento ainda mais significativo para mim, que, apesar de não ser nada dados a idolatrias, os tenho em tão alta estima.

Senti-me outra vez jovem durante este fim-de-semana, relaxado, despreocupado, livre e muito feliz, enfim, senti-me… alive!

Cristiano Ronaldo… o pai solteiro

Julho 7th, 2010

No meio de tanto folclore à volta da paternidade do Cristiano Ronaldo, parece que as pessoas se esquecem do fundamental: ele é agora um pai solteiro.

E isso não é uma missão nada fácil, ainda mais para uma super-vedeta do mundo da bola.

Alguém imagina a dificuldade de gerir uma agenda cheia e encaixar uma mudança de fralda entre um encontro com a Kim Kardashian e uma saída nocturna com a Gemma Atkinson?

Como se consegue adormecer uma criança com a Karina Bacchi a tomar banho no chuveiro ao lado?

E quem o pode ajudar a dar de mamar ao miúdo?

E se o petiz é alérgico ao silicone?

Por outro lado, será fácil dar-lhe de comer, porque o rapazote, se tiver sangue latino, abrirá a boca de cada vez que entrar na cozinha a Irina Shayk.

Felizmente poderá contar com o apoio da Associação de Famílias Monoparentais, que poderá dar dicas bastante úteis sobre fraldas, gestão do tempo, apoio institucional, biberões e afins, e lhe facilitará de sobremaneira a sua dura vida de pai solteiro.

Mas nem tudo são espinhos na vida do capitão de selecção portuguesa de futebol.

Doravante, Cristiano Ronaldo poderá chegar atrasado a um treino do Real Madrid, com umas enormes olheiras e afirmar “Deshculpe lá Mishter, mash não dormi a noite toda. Foi a noite inteira a pedir para mamar, e eu lá deixava, mas depoish começava outra vez aos gritosh e pedia para mamar outra vez. Pens’que… estou todo rebentado Mister”, sem que ninguém pense que esteve envolvido numa louca noite de sexo com uma americana qualquer.

E isso é bom para ele.

Os mais distraídos não terão reparado, mas o Cristiano Ronaldo já treinava há uns tempos para marcar este golo e já mostrava que tinha vontade de montar outras coisas, de cariz mais infantil, como documenta a foto abaixo.

O jeito é que não é lá muito, pelo menos para os cavalinhos insufláveis.

Especial

Maio 23rd, 2010

Especial
adj. 2 gén.
1. Relativo a espécie.
2. Particular.
3. Privativo.

4. Excelente; do melhor; destinado a um fim ou uso particular.

É já um cliché, mas para mim é, sem sombra de dúvida, o adjectivo que melhor identifica este homem.

Numa altura de nacional-pessimismo como há muito não se via, esta imagem é preciosa por ser um exemplo cabal de que podemos ser os melhores, se formos dedicados, sérios, corajosos, pragmáticos e competentes.

Grande José Mourinho!

Maradona: o anti-droga

Janeiro 27th, 2010
O presidente do Uruguai convidou Maradona para aderir a uma campanha anti-droga que vai decorrer no seu país.
Eu acho justo, porque Maradona sempre se bateu pela exterminação das drogas.
Queimou-as, aspirou-as e terá mesmo escondido algumas no próprio corpo, sempre com o intuito de evitar que os outros conseguissem aceder a ela.
É de facto um exemplo a seguir e envolvê-lo nesta iniciativa é um boa ideia do senhor Jose Mujica, porque o Maradona em forma acaba com os armazéns dos barões da droga uruguaios em três tempos, talvez o consiga mesmo só em dois tempos, num dia de festa.
O passo a seguir deve ser convidar o Charlie Sheen para uma campanha sobre violência doméstica.
Força nisso Charlie 😉

Mãezinha Não Tapagues

Janeiro 20th, 2010
Ontem cruzei-me com o grande mestre Herman José.
Consegui orgulhosamente resistir ao pedido de autógrafo e aos gritos e histerismos habituais em fãs trintões, e no caminho de regresso a casa dei por mim a relembrar este pequeno trecho da novela “Mãezinha Não Tapagues” onde aparece o Dr. Fajuto a tentar ensinar ao Felisberto Desgraçado algumas coisas sobre medicina, para ele poder ajudar a salvar a Mãezinha.
Um pedaço de palermice pegada que eu continuo a adorar 🙂