Ficou ferro a ferro, ganhou a Espanha

Junho 28th, 2012

120 minutos depois do apito inicial estava zero a zero, Portugal e Espanha estavam empatados.

Poucos minutos depois e nove penaltis volvidos, estava ferro a ferro, ganhava a Espanha.

Como é possível?

Simples: a nossa bola ao ferro ressaltou para fora, a deles ressaltou para dentro.

E disto se faz o futebol.

Desta incerteza, dos pormenores, da fina linha que separa o inferno da glória.

E é por isso que tanto gosto deste desporto, em que não há vencedores antecipados e onde todos têm hipóteses de sair vencedores.

A desilusão fica, logicamente, mas fica também a certeza de que um dia o ressalto vai sobrar para nós, que a bola há-de um dia bater no ferro e rodar para dentro.

Estamos a treinar bem – só neste campeonato foram 7 bolas ao ferro! -, agora é só começar a dar-lhe um bocadinho de efeito, para elas rodarem para o sítio certo.

E lá estaremos então, prontinhos para comemorar efusivamente quando esse dia chegar.

No entretanto, há que gerir bem esta nossa veia eufórico-depressiva que nos leva a tantos extremos emocionais, e nunca esquecer que isto, afinal, é só um jogo.