Secreta… mas pouco

Outubro 21st, 2010

O maior medo dos serviços secretos de qualquer país é que, ao serem descobertos, os seus espiões ponham a nú todos os seus segredos.

Neste caso a Rússia viu confirmados os seus piores receios, quando a espiã Anna Chapman foi descoberta pelas autoridades dos EUA e deportada para o seu país natal.

Uma coisa ainda por explicar: porque é que os americanos andavam todos atrás dela e mortinhos por apanhá-la, e depois a mandaram embora? Não se compreende!

Voltando ao secretismo – ou falta dele  – parece-me que esta menina talvez tenha  um problema em passar despercebida, e daí o seu insucesso, mas no regresso à Mãe Rússia as autoridades deviam ter acautelado melhor as suas condições de vida futura, porque na falta de oportunidades no mercado  de espionagem interna, esta ex-espiã viu-se forçada a revelar os seus segredos mais íntimos nas revistas masculinas.

É a figura sensação do momento, a aquecer as discussões do frio país, com direito a capa na Maxim e promessa de aparição em breve na Playboy.

Já tem direito a site próprio e, a julgar pelo vídeo de apresentação, vai com certeza ter muito mais sucesso expondo-se perante as câmaras fotográficas do que a esconder-se das câmaras de vigilância.

Gel vaginal anti-sida

Julho 20th, 2010

Segunda notícias recentes, foi descoberto um gel vaginal que reduz em 54% o risco de contaminação com o vírus da sida, entre mulheres com parceiros infectados.

O estudo teve a duração de um ano, e a versão oficial é de que essa redução de risco de contágio acontece porque o gel contém uma pequena percentagem do anti-retroviral tenofovir, mas eu acho que os resultados obtidos têm outra explicação.

Toda a gente sabe que as mulheres são, de forma geral, extremamente vaidosas.

Por isso, não tenho dúvidas de que as mulheres sujeitas a este estudo, aproveitaram o acesso a esse gel para deixar crescer as pilosidades púbicas e fazer criativos penteados.

Esses penteados dificultam de sobremaneira a cópula, logo, diminuem drasticamente as hipóteses de contaminação.

Qualquer outra conclusão não passará, à partida, de especulação e conversa pseudo-científica.

Cortes com estilo

Maio 27th, 2010

A nossa classe política é um bocado trapalhona na apresentação de medidas impopulares, e estes últimos cortes – ou medidas de austeridade, como lhe queiram chamar – apresentados pelo governo são prova disso mesmo.

Oram vejam como eu acho que eles deviam ter apresentado as coisas:

“Caros cidadãos,

Numa avaliação feita às nossas contas públicas, levada a cabo por uma entidade independente, a revista Vogue, chegou-se à conclusão que temos um sistema económico-financeiro demasiadamente rétro e ineficaz.

Assim sendo, decidiu o Governo pedir a colaboração da consagrada estilista portuguesa Fátima Lopes, para nos ajudar a instituir cortes corajosos, mais ousados, mais modernos e seguindo as tendências minimalistas adoptadas no panorama externo, dotando o País de uma imagem mais consentânea com os padrões exigidos internacionalmente e mantendo-nos na vanguarda das políticas de contenção orçamental.

Estes novos cortes parecerão estranhos, e mesmo incómodos inicialmente para alguns, mas ajudarão seguramente a reduzir de sobremaneira os custos supérfluos, utilizando de forma mais comedida os nossos recursos.

A sobre-exposição a que ficaremos sujeitos, e a que certamente os mais tradicionalistas não estarão habituados, deverá ser encarada por todos como uma manifestação de arrojo, audácia e modernidade, e um acréscimo de sensualidade e glamour para os portugueses.

Decidiu também o Conselho de Ministros – seguindo aliás as recomendações de Sua Excelência, o Presidente da República – convocar a cidadã Sofia Aparício, para, numa adaptação das linhas de conduta e conselhos práticos que já nos vinha dando no seu programa 86-60-86, nos ajudar a alcançar as medidas ideais e a emagrecer substancialmente as contas do Estado.”

Não era muito melhor assim? Enganavam-nos na mesma, sofríamos que nos lixávamos da mesma forma, mas com muito estilo!

Atenção! Prostitutas

Abril 8th, 2010

Já ouviram dizer que determinada mulher anda “ao ataque”, para identificar uma senhora que  disponibiliza o seu corpo para usufruto e prazer alheio, a troco de dinheiro?

Parece que em Treviso as autoridades levam esta “ameaça” muito a sério.

Tão a sério que até já criaram um sinal de trânsito que identifica as zonas onde elas normalmente podem ser encontradas.

Nós por cá temos um sinal idêntico, só que aparece uma vaca desenhada… em vez de uma senhora de salto alto, mini-saia, cabelo solto, busto generoso e bolsinha na mão.

Apesar dos pontos em comum, como a distribuição cromática, quer-me parecer que talvez estes dois sinais não tenham a mesma finalidade.

O objectivo deste sinal é para mim um bocado confuso, porque duvido que as senhoras em questão se atirem para a frente dos carros em andamento, provocando acidentes e estragos nas viaturas.

Será que as autoridades querem dar esta informação da mesma forma que avisam que mais à frente se pode encontrar um posto de abastecimento?

Ou é uma forma de incentivo ao negócio das senhoras, para que nenhum condutor passe sem se aperceber que elas estão lá, aumentando assim as hipóteses de angariar novos clientes?

É que de facto é muito difícil uma pessoa aperceber-se, porque elas normalmente vestem roupas muito discretas, e um tipo anda tão atento aos sinais que nem nota que está uma mulher com um cinto-saia vestido e a abanar os seios na berma da estrada!

Talvez seja também uma sinal de informação turística, não vá um visitante estrangeiro pensar que as senhoras são religiosas ajoelhadas à procura de doações.

Pode ser só fetiche de algum funcionário camarário que prefere as mulheres com sinais, mas seja qual for o motivo, e mesmo não estando legalizadas, ao menos estão bem sinalizadas.

Dia Internacional da Mulher

Março 8th, 2010

Hoje comemora-se, mais uma vez, o Dia Internacional da Mulher.

É perfeitamente justo que se celebre a existência da Mulher, o seu papel na sociedade, e que sempre se relembre o seu direito de serem tratadas com exactamente como os homens – salvo as devidas excepções de cortesia e cavalheirismo de que não prescindem… e muito bem.

Que seria de nós sem as nossas avós, mães, filhas, namoradas, esposas, amigas, irmãs, companheiras ou colegas?

Era provavelmente o mais desenxabido, feio e monótono dos mundos!

Da maneira que andam as coisas parece-me, no entanto, que qualquer dia somos nós reclamar um Dia Internacional do Homem, para ver se se lembram de nós.

Longe vão os tempos em que as mulheres nem podiam assistir a apedrejamentos em condições e tinham que se socorrer de mil e uma artimanhas para ter esse privilégio exclusivo dos homens.

Para que não caia no esquecimento, fica aqui este vídeo que nos lembra dessa altura e um beijinho para todas as senhoras, com particular repenicanço para as que me são mais próximas e que sabem o quão especiais são para mim.