Vida com mau timing

Dezembro 14th, 2010

A vida nem sempre tem o timing mais adequado.

Por vezes somos postos perante situações e responsabilidades que ainda não estamos preparados para enfrentar, outras vezes são-nos dadas oportunidades únicas que ainda não sabemos apreciar devidamente, nem tirar o máximo partido delas.

É este segundo caso que me atormenta o espírito sempre que vejo o cenário da foto abaixo, confortavelmente, desde a minha varanda.

Custava alguma coisa ter esperado que eu me reformasse – se algum dia o puder fazer -,  para me oferecerem esta pérola?

É o sonho de qualquer reformado ter uma obra a decorrer mesmo debaixo da sua casa, com esta vista privilegiada que lhe permite acompanhar tudo ao minuto e com detalhe.

Eu, porém, nesta fase da vida só me posso queixar do barulho, dos inconvenientes que gera no tráfego e da poluição visual que fornece à paisagem.

Falta-me ainda sensibilidade enquanto espectador de construção civil, que é uma habilidade que se adquire e aprimora com o acumular de idade, e ainda não tenho know-how suficiente para elaborar grandes tiradas críticas sobre os responsáveis pela obra e pelo normal decurso da mesma.

Ainda pensei em partilhar esta situação com quem a apreciasse devidamente, dirigindo-me à ANAI para colocar um anúncio que pusesse à disposição uma varanda com vista privilegiada para obra ímpar na cidade, mas depois pensei que lhes podia estar a criar condições para o abandono da actividade desportiva, já que na varanda não dá jeito para jogar cartas por causa do vento, e desisti da ideia.

Instantâneos d’ouro

Novembro 29th, 2010

No último fim-de-semana tive o prazer de regressar ao Douro e passear por aquela região fértil em paisagens deslumbrantes, como esta em que uma “ilha” emerge no meio de um mar de nuvens.

Mas nem tudo foi tão bonito.

Ao chegar ao hotel deparei-me com o aviso abaixo, que me deixou em pânico.

Fiquei atrapalhado porque o selo já estava quebrado quando o vi e não tinha como provar que não fui eu a quebrá-lo, mas acima de tudo fiquei extremamente nervoso porque não faço ideia de como iria arranjar dez mil escudos, caso fosse apanhado.

Felizmente correu tudo bem e ninguém me multou ou pediu escudos, e portanto continuamos serenamente até que este anúncio num prédio me captou a atenção.

É impressionante a capacidade edificadora do Homem, capaz de fazer apartamentos com esta dimensão!

Não sei como será viver num T3 mais mil novecentos e sessenta e oito milhões novecentos e quinze mil seiscentos e noventa e quatro, mas acho que são divisões a mais para tão poucas janelas.

Enfim, cada um saberá da luminosidade que necessita para viver e há até quem prefira a luz artificial, mas ainda assim aflige-me pensar no tempo necessário para a limpeza de tantos quartos.

Equipamento policial anti-chuva

Junho 13th, 2010

No regresso de Paris, brindado com uma recepção chuvosa, deparei com esta imagem, ilustrativa do sofisticado equipamento policial que se usa cá pelo burgo.

A fotografia foi colhida à distância, mas dá para perceber que este agente da P.S.P. está excelentemente equipado, com uma camisinha de manga curta e guarda-chuva, que lhe permite o abrigo da intempérie, mas também o dota de algum estilo.

Fiquei particularmente sensibilizado pela coerência na conjugação de cores, a denotar sobriedade e bom gosto de quem escolhe o fardamento e seus respectivos acessórios.

Facto digno de nota é o de o referido agente, que tinha a missão de regular o trânsito automóvel, ter tido com certeza problemas em regular o seu próprio trânsito intestinal, já que, momentos antes, um carro que se dirigia em alta velocidade na sua direcção lhe pregou um susto tal, que ele teve que saltar a barreira da via rápida para a outra faixa.

Tudo isto sem deixar cair o guarda-chuva, que até o deverá ter ajudado a estabilizar o vôo e a suavizar a aterragem.

A raquete é que foi parar ao chão, para não fazer esta manobra com peso excessivo.

Coisas que vi em Paris

Junho 12th, 2010

Monumentos

Carrinhos

Muitos espaços verdes

Sinais a lembrar que fazer rappel não é o mesmo que andar de bicicleta

Pessoas que inspiraram os criadores do Wall-E

Diversão

Arte

Presentes a preços acessíveis

Montras deliciosas

E, mais importante do que tudo, muito romantismo e amor