Sinto-me…

Outubro 19th, 2009

… um homem noivo!

Chuva nas férias

Outubro 7th, 2009
Os índios faziam danças para chamar a chuva.
Há quem faça orações e missas para pedir essa benção dos céus.
Gastam-se milhões em sofisticados sistemas de regadio para minimizar os efeitos da seca.
Investiga-se arduamente para que a ciência ajude a interferir no ciclo da água e se consiga “fabricar” chuva sempre que necessário.
Há ainda quem, em desespero, ponha virgens nuas a arar os campos para levar os deuses a fazer chover.
Tendo em conta a pontaria que estou a ter este ano, proponho-me juntar o útil ao desagradável, pondo à disposição de todos os territórios áridos do Mundo o meu dom de atracção de pluviosidade durante o período de férias.
Basta que me contactem com alguma antecedência para que eu possa marcar férias, que assumam os custos da viagem para esse local e as despesas durante a estadia.
O resto acontecerá, certamente, com muita naturalidade.
Ainda assim, e como tenho muito bom clima dentro da carola, as férias correm bem.

Regresso de férias

Agosto 24th, 2009
O que é bom acaba rapidamente, ou pelo menos deixa essa sensação.
Mais do que um prazer pessoal, o dolce fare niente é um dom intrínseco que cultivo com muito gosto e no qual me tenho aperfeiçoado.
Desenvolvo a actividade de “não fazer absolutamente nada” com bastante vontade e dedicação, e por isso faço-o melhor que ninguém!
Tenho jeito para isto, quase me atreveria a chamar-lhe vocação, e portanto as coisas correm, naturalmente, bem.
O roteiro desta vez incluiu Afife, Viana do Castelo, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Porto, Gaia, Nazaré, Alcobaça, Osso da Baleia, Figueira da Foz e Aveiro, com dois “quartéis-generais”: primeiro em Mindelo e depois em São Pedro de Moel.
Foram dez dias muito bem passados, em boa companhia e que deixaram a vontade de voltar a visitar muitos destes sítios, o que, só por si, ilustra bem o quão satisfeito estou.
Depois vem a sensação boa do regresso ao ninho, às nossas coisas, ao nosso espaço, ao nosso conforto.
Hoje vem o regresso dos mails, telefonemas, contactos, planos e reuniões, mas com as baterias carregadas e, portanto, com o optimismo e alegria habitual.

Brac

Agosto 8th, 2009
Ontem tive o imenso prazer de desfrutar de um belíssimo jantar no restaurante Brac.
Pratos com nomes sugestivos, muito bem apresentados e com ainda melhor sabor.
Boa carta de vinhos, atendimento simpático e eficaz, espaço agradável e moderno e uma música ambiente de boa qualidade que completa a receita de um excelente restaurante.
Podia elaborar muito mais a lista de adjectivos elogiosos, mas vou só deixar ficar o nome daquilo que me arrebatou por completo no final: Tanori.
Uma sobremesa que me arrebatou desde que chegou à mesa e que entrou directamente para o topo das melhores sobremesas que já tive o prazer de comer.
A única infeliz e inevitável surpresa são os preços.
É caro? Não. O preço acompanha a qualidade apresentada.
É muito dinheiro por uma refeição? É sim senhor!

New look

Julho 17th, 2009
Como o primeiro-ministro não remodela… remodelo eu – pensei.
Se assim o pensei, melhor o fiz (ou mais ou menos o fiz ou tentei fazer, vá) e cá está então, verdinha como as alfaces, a nova imagem do Ninho.
Já não mudava o look do blogue desde a sua criação, corria o longínquo ano de 2008.
Achei que esta era uma data fantástica para o fazer, até porque nesta data não tinha nada que fosse digno de festejo.
Como isto não é certamente algo que eu entenda como digno de festejo vou ter que fazer mira para o nascimento de um filho nesta data.
Noutro ano que não este, porque julgo que já não vou a tempo.
Se não for um filho, pelo menos uma árvore hei-de plantar nesta data.
Ou escrever um livro.
Outra opção é acelerar o passo para chegar à esquina antes da velhinha.
Isso sei que consigo.
Depois é só escrever sobre isso e festejar.
Espero não me esquecer, porque ainda falta um ano e como já não vou para novo a memória às vezes falha.

P.S. – Até nem está mau de todo, pois não?