Feliz Aniversário Mamã

Dezembro 11th, 2009
Há cerca de trinta anos, mais década menos década, nasceu em Viana do Castelo a mais linda mãe do Mundo e portanto hoje é dia de festa.
Antes de todos os beijinhos e abracinhos que lhe darei logo, fica aqui uma musiquinha de aniversário, da autoria dos Beatles, que é um grupo que ela talvez conheça.
Apesar de serem muito mais velhos 🙂
Muitos parabéns Mamã!

Analogia febril

Dezembro 9th, 2009
A febre está neste momento para mim como a Análise Matemática estava para mim e muitos colegas nos meus tempos de estudante.
Difícil de passar.

Temperatura elevada

Dezembro 7th, 2009
Habitualmente não sou do contra, mas ao contrário da maioria das pessoas que se andam a queixar de estar frio, eu ando desde ontem a queixar-me de estar com a temperatura elevada.

Arcashopping

Dezembro 6th, 2009
Acordar a um Domingo de manhã e sair de casa cedinho para ir trabalhar já não é fácil, mas hoje de manhã foi particularmente difícil porque implicou que me tenha embrenhado num dilúvio de dimensão bíblica.
É certo que o domingo é talvez o dia mais propenso a analogias bíblicas, mas não havia necessidade de dar cabo do humor a uma pessoa logo de manhã, não é?
Pois é.
Foi precisamente em Noé que me lembrei durante todo o caminho.
Estive quase para arrancar a minha cara-metade da cama para ir comigo encontrar refúgio na arca desse senhor, mas depois lembrei-me que deve ser apertado lá dentro, já não é vista a navegar por aqui há muito tempo e como não tem muita concorrência deve ser extremamente caro, não é?
Provavelmente é.
Só que entretanto veio-me à mente que a arca dos tempos modernos são os centros comerciais.
Tem a vantagem de ser gratuito, ter lugar para estacionar e por isso é quase instintivo às primeiras pinguinhas de chuva em dia de descanso ir toda a gente aos pares, quartetos ou bairros inteiros, fazer filinhas e dar encontrões para os centros comerciais, não é?
Eu acho que é.
Como há muitos perto do sítio onde moro, fiquei mais descansado e deixei-a dormir, porque se a coisa azedar mesmo é só dar dois passinhos e fica a salvo.
Entretanto, quando a tempestade passar lá virá a Bonanza, não é?
Não, não é… quer dizer… devo estar com o cérebro húmido… não sei… parece que não é.

Herança de meninagem

Novembro 6th, 2009

No ciclo e liceu (assim mesmo, à moda antiga) aprendi nas disciplinas de Trabalhos Manuais e Trabalhos Oficinais a trabalhar com madeiras, material eléctrico, metal e todo o tipo de ferramentas necessárias para isso.

Desde semáforos a porta-guardanapos fiz um bocadinho de tudo… até alguns paninhos a fugir para o panisguento eu fiz, em têxteis.
Homem que é homem, mas que já foi miúdo, foi presenteado durante toda a sua vida com carros, Legos e kits para montar… e eu sou muito homem.
As minhas visitas de estudo eram a fábricas e oficinas, e tinha que estar sempre muito atento ao que os adultos faziam.
Toda essa herança dos meus tempos de menino me assombram agora, na idade adulta, porque quando há alguma bricolage para fazer lá tenho eu que estar a postos.
Só nos últimos dois dias foram quatro móveis com prateleiras, uma mesa extensível de jantar, uma mesa de escritório e uma cama complexa (com gavetas e sistema de extensão para dois lugares).
E ainda por cima nem todo este mobiliário é para a minha casa!
Se um dia tiver um filho homem vou pensar no seu futuro desde o início.
Não vai ter Trabalhos Oficinais, não lhe vou dar Legos nem kits e não o vou levar às modernas instalações de fábricas onde as operárias usam batas e máscaras e que não se vê nada a não ser tecnologia.
Os meus filhos vão ter na escola Educação Sexual e no Natal vão ter sempre no sapatinho umas simpáticas bonecas.
Insufláveis.
As visitas de estudo só passarão por oficinas à moda antiga, que tenham posters como deve ser na parede, para ele ter com que se entreter, ou então pelas redacções de revistas de elevado interesse cultural como a FHM ou a Playboy.
Pode ser que assim, quando chegar a idade adulta, ele seja sempre chamado a pôr em prática todos os conhecimentos adquiridos durante a infância e juventude e que tenha muito prazer em fazê-lo.