Habemus Papam

Março 12th, 2013

Se há dia em que faz sentido recomendar um filme, é este.

Começa hoje o conclave para a eleição do novo Papa e isso fez-me lembrar um excelente filme de Nanni Moretti que vi há uns tempos, chamado “Habemus Papam”.

É interessante porque mostra toda a dinâmica interna de sucessão do Sumo Pontífice, mas tem um twist verdadeiramente delicioso, que alimenta a história: o eleito acha que não é capaz de exercer o cargo, tem uma crise de pânico e recusa-se a assumi-lo já depois de ter saído fumo branco pela chaminé da Capela Sistina, e quando as portas da varanda que dá para a praça de S. Pedro já estão abertas.

Instala-se o caos  interno e entra-se em estado de emergência dentro de portas, enquanto cá fora a multidão espera, sem saber o que se passa.

É então chamado o melhor psicanalista italiano para tentar convencer o cardeal e assistimos a toda a luta interna desta personagem, brilhantemente interpretada por Michel Piccoli.

Vale a pena vê-lo, principalmente no contexto atual, porque dá uma perspectiva muito interessante ao tema.Habemus-Papam_pics_809

Oficial de Cabeleireiro

Agosto 12th, 2011

Ora cá está algo verdadeiramente surpreendente.

Quando se pensava que já estava tudo inventado no que ao mundo capilar diz respeito, onde se incluem as profissões de barbeiro, cabeleireiro unisexo ou estilista capilar, eis que surge a EPAVE militarizando o sector, através da introdução de uma hierarquia, como se depreende da expressão “Oficial de Cabeleireiro”.

Talvez inspirados pelo filme Oficial e Cavalheiro, em que, sublinhe-se, Richard Gere aparece impecavelmente penteado, os responsáveis da EPAVE dão um novo élan ao manuseamento e desbaste de pilosidade craniana, transmitindo-lhe o charme e o rigor que faltava.

Mas não é qualquer um que chega a Oficial de Cabeleireiro.

Tudo começa com o treino, apelidado de “recurta”, onde aprendem a manejar as armas pontiagudas e de sopro, os rolos de mão, a transportar lacas, a disparar bitaites, a evitar pisar as meninas e a lidar com as brazucas.

Parte importante deste treino debruça-se depois sobre aspectos tecnicamente mais avançados, como estratégia de corte, negociação de vinténs e manobras de parlapiê, que os deixe preparados para enfrentar todo o tipo de cliente, por mais difícl que seja.

O último teste surge na já célebre Semana de Campanha, em que são postos à prova em salões repletos de clientes histéricas, na ânsia de aproveitar os preços invulgarmente baixos que são praticados naqueles dias.

O Baile dos Oficiais finaliza o curso, e aqui, de forma simbólica, os novos Oficiais rapam as gadelhas uns aos outros, atirando-as seguidamente ao ar, em sinal de alegria pelo finalizar de um duro ciclo.

Posteriormente recebem as insígnias de Sargento de Cabelaria, podendo progredir na carreira até chegar a eventualmente a Chefe de Estado Maior – General das Toucas Armadas.

Boa sorte, minhas bravas e meus bravos, nas vossas missões.

O bem estar dos escalpes da Nação depende de vocês!

Senna

Junho 20th, 2011

Quem me conhece sabe que não sou pessoa dada a idolatrias, fanatismos ou seguidismos, mas existem personalidades que admiro de forma muito intensa, pela sua personalidade, carácter e percurso de vida.

Ayrton Senna foi uma dessas personalidades, que me deixava colado à televisão a seguir as suas proezas, que me punha a vibrar nos duelos fantásticos que protagonizou com Prost ou Mansell, e que conseguia ser mais que um mero piloto, um exemplo de humildade, trabalho, persistência, rigor e positivismo.

Foi por isso com muita emoção que vi o filme documentário “Senna“, um filme muito bem estruturado, com testemunhos sentidos – alguns deles surpreendentes – de quem viveu de perto com ele todos os momentos do seu interessantíssimo percurso, e que me prendeu emocionado ao ecrã durante mais de duas horas.

Um filme que lhe faz jus e que muito dignifica a vida deste grande piloto.

Um documentário imperdível para qualquer adepto do desporto automóvel, da Fórmula 1, para os fãs de Ayrton Senna, mas também para quem quiser conhecer mais em pormenor um bom exemplo de vida.

ben-u-ron

Junho 9th, 2011

Poucas vezes premiado ou referenciado em galas que referenciam ou premeiam coisas e pessoas, o ben-u-ron é o melhor amigo do Homem na sua luta contra as mais variadas maleitas.

Dores de cabeça? Tome um ben-u-ron.

Indisposição? Um ben-u-ron ajuda.

Dói-lhe um dente? Já tomou um ben-u-ron?

Ressaca? Experimente tomar um ben-u-ron.

Febre? É porque ainda não tomou um ben-u-ron!É tão versátil e as pessoas usam-no para tantos fins que acredito ser hoje capaz de fazer aquilo que aparentemente seria impossível: mossa concorrencial a medicamentos tão diversos como o Quitoso ou o Gino-Canesten.

Há até relatos que, devido às suas características, é utilizado em festas do jet-set para afastar pessoas que misturam o piroso e o patético, daí vir escrito na caixa que é um antipirético.

Para uma utilização tão abrangente talvez contribua o facto do nome deste medicamento fazer lembrar Ben-Hur, uma personagem lutadora, que vence qualquer desafio contra o mais poderoso dos inimigos e em condições muito desvantajosas.

É como se o medicamento se montasse numa quadriga e avançasse destemido sobre os mais variados causadores de doenças, chicoteando impiedosamente todo o tipo de vírus, bactérias e pestes.

Outra das coisas que se diz para justificar a ingestão de ben-u-ron nas mais variadas circunstâncias é que, pelo menos, mal não faz.

Isso leva-me a suspeitar que então talvez as suas substâncias não sejam tão activas como isso, e que sendo tão inócuo o mais provável é que não passe de um placebo.

Mas o que interessa é que, pelos vistos, a estratégia de mercado funciona muito bem, toda a gente o usa para tudo e mais alguma coisa, e por isso os senhores que o fabricam e comercializam devem ser referenciados ou premiados por isso.

Bem hajam ben-u-roneiros!

Oscares 2011

Fevereiro 27th, 2011

Hoje é dia de entrega de Oscares, a festa do cinema à escala global, a que todos os amantes de cinema estão atentos.

Todos terão os seus palpites e/ou preferidos e eu não fujo à regra, por isso vou deixar aqui uma listagem com os nomes daqueles que são, para mim, os eleitos para vencer as estatuetas douradas deste ano, nas categorias principais.

Melhor Actor – Colin Firth (O Discurso do Rei)

Melhor Actriz – Natalie Portman (Cisne Negro)

Melhor Actor Secundário – Christian Bale (The Fighter – O Último Round)

Melhor Actriz Secundária – Hailee Steinfeld (Indomável)

Melhor Realizador – Darren Aronofsky (Cisne Negro)

Melhor Argumento Original – Christopher Nolan (A Origem)

Melhor Argumento Adaptado – Joel Cohen, Ethan Cohen (Indomável)

Melhor Filme de Animação – Toy Story 3

Melhor Filme Estrangeiro – Fora da Lei (não vi Biutiful, que a crítica é unânime a apontar como favorito, rai’s parta a crítica que vê os filmes todos e depois nos põe com vontade de também os ver!)

Melhor Banda Sonora – Alexandre Desplat (O Discurso do Rei)

Melhor Fotografia – Danny Cohen (O Discurso do Rei)

Melhor Filme – Cisne Negro