É engano!

Julho 17th, 2013

Se há coisa extremamente irritante – não dermicamente, mas intra-cranianamente – são aquelas pessoas que nos telefonam por engano e, não contentes por incomodarem uma vez, ligam mais um par ou uma dezena de vezes.

Só para confirmar!

Sempre que isso me acontece, lembro-me de uma pequena rábula que o meu pai contava inúmeras vezes quando eu era miúdo e que me apetece agora partilhar convosco.

Toca o telefone e a pessoa atende.

– Estou sim?

– Estou? Bino?

– Não, não é o Bino.

– Não é o Bino?

– Não.

– Peço desculpa. Foi engano.

Desliga-se o telefone e pouco depois toca novamente.

– Estou?

– Bino? Olha uma coisa…

– Desculpe interromper, mas não é o Bino.

– Ah! Desculpe. Deve ter sido engano.

Mais um pouco e o telefone toca de novo.

– Estou?

– Como é Bino? Já nem ligas à malta… tá tudo?

– Deve haver um equívoco qualquer. Não é o Bino.

– Estou a ligar para o 973432815?

– Sim, mas não é o Bino.

– Então devo ter o número errado. Desculpe lá.

Já num estado de irritação acentuada após tantas chamadas que não lhe eram dirigidas, a personagem que detém o telefone ouve novo toque.

Hesita em pegar no telefone, mas fica sempre aquela sensação de que pode ser algo importante e decide atender.

Do outro lado surge então a frase que menos esperava ouvir.

– Estou sim?

– Bom dia! Daqui fala o Bino. Ligou alguém para mim?

bigstock_Angry_Woman_in_Comic_Book_Styl_25804979

Entregadores assediados

Julho 12th, 2013

A vida de um entregador de pizzas não deve ser fácil!

Por inerência da função, são expostos a riscos que a maior parte das pessoas negligencia, o que faz com que às vezes se comportem de forma estranha para o comum dos mortais.

Desde logo os riscos que têm que correr para fazer as entregas de forma rápida, serpenteando – por obrigação – no meio do trânsito, como areia vertida num labirinto de seixos do mar.

Depois o risco de serem assaltados por um qualquer janado que colecione cachimbos de motorizada ou necessite de dez euros para a dose de castanha.

Mas o maior dos riscos está na sua vulnerabilidade perante quem está atrás da porta.

E não falo de meliantes, extraterrestres, vampiros ou torturadores.

O maior perigo são as volumosas gerontes com défice massivo de íntima interação física macho/fêmea.

Imaginem o que é deitar um suculento naco de carne fresca para a jaula de um leão que já não come nada há seis anos.

Reparem na diferença proporcional de tamanhos, no estímulo visual do vermelho da carne fresca e na ferocidade animal do leão, em contraponto com a timidez inocente do pedaço de carne.

Cenário letal para a tenrinha carnuncha.

E pior… não há seguro que cubra este risco.

Por isso, da próxima vez que se enervarem com um atraso na entrega ou com um entregador que se vos atravessa à frente no trânsito, respirem fundo e lembrem-se que eles são pessoas que vivem atormentadas por este cenário, que os põe num estado de espírito que os leva a descurar outras eventuais preocupações.

pizza2