Direto ao assunto

Julho 23rd, 2012

Uma das características pessoais que mais aprecio é a objetividade, o pragmatismo, o ser direto.

Valorizo muito as pessoas focadas, as que vão direto ao assunto e não divergem, como aquelas estradas bifurcadas, trifurcadas ou mesmo tetrafurcadas, de terra batida, nas serras, que um tipo nunca sabe onde vão dar.

Um dia perdi-me numa dessas estradas, porque me distraí com uma cegonha que vinha a passar.

Pareceu-me que trazia alguma coisa pendurada no bico, e como vinha a voar baixinho achei que era uma boa oportunidade para verificar se o que trazem no bico são, de facto, bebés ou não.

Não era, como eu supunha, porque não acredito nessas coisas, nem nos OVNI que eu acho que só servem para as pessoas venderem discos que sobraram do tempo do vinil, que agora é um material que já não serve para mais nada a não ser para suporte publicitário, e de má publicidade.

Como a do outdoor que ainda ontem vi numa autoestrada, durante um engarrafamento causado por um cão que saltou a vedação e foi atropelado por um camionista que vinha a tirar macacos do nariz.

Porque é que lhe chama  macacos?

Aquilo é gosma, ou monco, ou muco, ou lá o que é, mas não se parece nada com um macaco, coitado do bicho!

As pessoas têm a mania de inventar denominações e essas coisas, essa é que é essa!

Parecem maluquinhos, blá, blá, blá, a dizer coisas sem sentido, e depois não se percebe nada e ninguém se entende… uma confusão.

Fazem-me lembrar as pessoas que se esquecem do que verdadeiramente importa e não vão diretas ao assunto e enrolam, enrolam, enrolam…

Não gosto nada de pessoas assim.


Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply

Name

Email

Site

Speak your mind