Secreta… mas pouco

Outubro 21st, 2010

O maior medo dos serviços secretos de qualquer país é que, ao serem descobertos, os seus espiões ponham a nú todos os seus segredos.

Neste caso a Rússia viu confirmados os seus piores receios, quando a espiã Anna Chapman foi descoberta pelas autoridades dos EUA e deportada para o seu país natal.

Uma coisa ainda por explicar: porque é que os americanos andavam todos atrás dela e mortinhos por apanhá-la, e depois a mandaram embora? Não se compreende!

Voltando ao secretismo – ou falta dele  – parece-me que esta menina talvez tenha  um problema em passar despercebida, e daí o seu insucesso, mas no regresso à Mãe Rússia as autoridades deviam ter acautelado melhor as suas condições de vida futura, porque na falta de oportunidades no mercado  de espionagem interna, esta ex-espiã viu-se forçada a revelar os seus segredos mais íntimos nas revistas masculinas.

É a figura sensação do momento, a aquecer as discussões do frio país, com direito a capa na Maxim e promessa de aparição em breve na Playboy.

Já tem direito a site próprio e, a julgar pelo vídeo de apresentação, vai com certeza ter muito mais sucesso expondo-se perante as câmaras fotográficas do que a esconder-se das câmaras de vigilância.