A fragilidade

Fevereiro 1st, 2010
Há momentos que revelam toda a nossa fragilidade e que nos fazem reflectir sobre a nossa condição de simples visitantes deste mundo.
Fui informado há pouco do falecimento de uma pessoa que, não fazendo parte do meu círculo mais próximo de amigos, prezava imenso.
Alguém mais jovem do que eu, com uma força de carácter invejável, dinâmico, voluntarioso, rigoroso, dedicado, trabalhador, educado, optimista, solidário, respeitador, honesto, dono de uma saúde admirável e com cuidado constante na manutenção da mesma, um profissional exemplar e um modelo de cidadania.
Dos que fazem cá falta.
Num acidente que não podia evitar, porque não teve culpa de nada, ficou sem vida.
É uma daquelas notícias que nunca esperamos e que mexeu comigo, porque era um homem jovem com muito para dar, porque tinha uma formação pessoal que já não é fácil encontrar, porque sempre teve uma conduta impecável ao longo da vida e por isso não merecia este infortúnio.
Fica um vazio em todos os que tiveram o privilégio de se cruzar com ele em vida e uma revolta interior pela injustiça de um desaparecimento precoce.
Fica também o seu exemplo positivo e a sua força, que marcaram a passagem dele por cá.
E o agradecimento, que sei que não é só meu, pela sua postura exemplar neste percurso entre nós.

Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply

Name

Email

Site

Speak your mind