Teste “à americana”

Setembro 24th, 2009
Um amigo meu vai viajar para os E.U.A. e teve que preencher um questionário aquando da solicitação do visto de entrada no país.
Enviou-me o link para este questionário, que eu muito agradeço, porque as perguntas são curiosíssimas.
Deve-se assumir, pelas perguntas formuladas, que os norte-americanos julgam que as pessoas são todas honestíssimas, muito distraídas, extremamente ingénuas ou completamente parvas.
Reparem na frontalidade destas perguntas:

B) … está procurando empenhar-se em actividades criminosas ou imorais?

C) Já esteve ou está agora envolvido em espionagem ou sabotagem; ou em actividades terroristas; ou genocídio; ou esteve envolvido entre 1933 e 1945, de alguma maneira, em perseguições associadas à Alemanha Nazi ou aos seus aliados?

A base ideológica deste questionário é simples.
Um cidadão pode ser criminoso ou imoral, espião ou sabotador, terrorista ou genocida, mas nunca, nunca, nunca, em circunstância alguma… mentirá num questionário “à americana”.
Deve ser…

Melech Mechaya

Setembro 24th, 2009
Tem recentemente passado com bastante frequência no meu i-pod o primeiro trabalho dos Melech Mechaya – “Budja Ba”.
É um álbum onde pontifica a música klezmer, com sonoridades que não nos são próprias e que unem, segundo as palavras do próprio grupo, “aromas árabes e ritmos ciganos à tradição judaica“.
Uma espécie de “vá para fora cá dentro” musical, já que todos os intérpretes são portugueses.
A música é marcada por uma forte dinâmica, com variações constantes e ritmos bastante intensos, com grande riqueza instrumental e muito bons intérpretes.
A minha reacção ao ouvir este tipo de música é ficar imediatamente bem disposto e com vontade de fazer festa.
É uma excelente contribuição para andar com o humor em alta, principalmente pela manhã, quando a visão ainda é turva e precisamos de estímulos auditivos com bom feeling para ajudar a acordar.