Sem tempo

Maio 27th, 2009
No outro dia ouvi alguém perguntar na rua “Tem horas?” e automaticamente a resposta que me veio à cabeça foi “Não… não tenho! E se combinássemos para a semana? Acho que vou conseguir arranjar uns minutitos lá para quinta-feira, pode ser?”

A Turma

Maio 21st, 2009
Tenho encontrado ao longo da vida muita gente com preconceitos contra filmes europeus, sejam eles de que origem forem.
Confesso que na minha adolescência tinha exactamente a mesma posição em relação a este tema, mas hoje em dia devo dizer que tenho uma opinião completamente contrária.
Tenho visto excelentes filmes de origem europeia, dos mais diversos países, e penso que a cinematografia europeia retrata problemas que nos são próximos e com os quais nos deveríamos identificar mais facilmente.
Tem também uma abordagem mais criativa, muitas vezes experimentalista, mas que não se acomoda aos lugares comuns a que a indústria de Hollywood nos vem habituando.
Filmes como “O Ódio“, “Gato preto, Gato Branco“, “Fale con ela“, “Mar adentro“, “A vida é bela“,
4 meses, 3 semanas e 2 dias” ou “Do outro lado“, só para dar alguns exemplos, são para mim referências da 7ª arte e que devem ser vistas por qualquer pessoa.
O filme que vi ontem é um excelente exemplo de um bom filme europeu.
A Turma” é um filme que nos mostra o dia-a-dia de uma turma nos dias de hoje.
O desafio diário dos professores para lidar com um grupo de adolescentes desinteressados, insolentes, preguiçosos e intolerantes, a sua impotência perante os seus actos, a perda de controlo e a inversão de poderes.
Não sou professor, mas conheço de perto a realidade das nossas escolas e portanto acho que este filme retrata de forma muito fiel o drama diário dos que se dedicam profissionalmente ao ensino.
Esqueçam (aqueles que os tiverem) os preconceitos em relação ao cinema europeu e vejam esta peça, fundamental para abrir os olhos dos mais distraídos para uma realidade que poderá levar a problemas muito sérios num futuro muito próximo.

EucarisTV

Maio 18th, 2009

Poucos serão os países ocidentais que, numa grelha de canal aberto dos seus canais televisivos, encontram a missa dominical.

Pois bem, cá em Portugal os crentes podem escolher entre dois canais (RTP e TVI) que providenciam este serviço público.
A surpresa não está aqui.
A minha observação depois de ter deparado com uma missa a ser transmitida em directo na televisão este domingo é outra.
As missas têm relato!
Nunca tinha reparado nisto, mas como alguém se deve ter apercebido que a eucaristia é um bocadinho para o monótona, puseram um sacerdote em voz off a narrar os acontecimentos de tão animado evento.
Resultado: uma voz sussurada, monocórdica e melancólica vai dizendo o que se passa e torna tudo muito mais interessante.
Ou não!
Compreendo que seja útil para pessoas acamadas ou com dificuldade de locomoção este programa, mas não as massacrem com o locutor, por favor!
É que ainda por cima não dão dados interessantes sobre estatísticas (número de óstias entregues por minuto, número de argumentos certos, número de eucaristias presididas na carreira, ou, para as mais beatas, número de assistências) ou informação táctica (como a utilização de diáconos nas alas, posicionamento no altar, antecipações na resposta ao sacerdote ou homilia atacante ou defensiva) ou mesmo técnica (imposição lateral de partículas, técnica de boca na comunhão ou a destrinça entre a técnica correcta perante a abordagem à cruz).
Então como resolver este problema?
Com a profissionalização do sector!
Criando uma EucarisTV seria possível angariar fundos para formar convenientemente estes relatadores de eucaristias, e toda a gente ficava mais bem servida e contentinha.
E podia-se inclusivamente passar eucaristias italianas (mais defensivas e conservadoras) ou inglesas (mais abertas e fluídas, o conceito de missa espectáculo no seu expoente máximo).
Acrescentem-se alguns programas de debate eucarístico com repetição e análise das passagens dominicais mais polémicas, alguns documentários sobre o interior das sacristias e um fórum vespertino e está criado um canal de sucesso.

O dinheiro voa

Maio 14th, 2009
Toda a gente já se habituou ao discurso da crise e é comum ouvir as pessoas queixarem-se de que o dinheiro parece que “voa”.
Pois bem, segundo a Reuters, um condutor alemão viu o seu dinheiro voar, mas de forma literal.
Este homem conduzia um carro descapotável e levava um envelope com 23.000 euros numa bolsa de um lugar de passageiro.
De repente viu o vento levar-lhe o dito envelope e espalhar pela autoestrada toda esta quantia, em notas de 100, 200 e 500 euros.
Imediatamente comunicou à polícia, que colaborou montando uma barreira para pedir as notas aos condutores que por lá passavam, na tentativa de recuperar o dinheiro desaparecido.
Como é da Alemanha que estamos a falar, ainda conseguiram recuperar 20.000 euros e estão esperançados que os restantes 3.000 ainda venham a ser entregues às autoridades.
Se fosse cá em Portugal, e se este homem fosse verdadeiramente e extraordinariamente sortudo, seria muito bom recuperar apenas os tais 3.000, porque os outros 20.000 dificilmente lhes voltava a pôr a vistinha em cima 🙂

Suícidio animal

Maio 12th, 2009
Não sei se já repararam, mas a forma mais usada pelos animais para se suicidarem é porem-se à frente (ou debaixo) de um carro.
Eu não consigo perceber esta atracção fatal que os animais têm pelas viaturas.
Não podiam deixar este mundo sem estragar nada?
É natural que os animaizinhos tenham os seus problemas.
Muitas vezes são abandonados e sentir-se-ão sozinho, outros são autênticos vagabundos que não vêm uma escova há imenso tempo, outros simplesmente já estão velhinhos e fartos de lamber o próprio pêlo, outros não encontram fêmeas que lhes tratem do cio, outros há ainda que são maltratados pelos humanos.
Mas não há necessidade nenhuma de obrigar um inocente automobilista a estragar ou destruir o seu veículo!
A não ser no caso de se deitarem para a frente do carro do dono que os abandonou ou os maltrata, eu acho que eles deviam adoptar meios mais naturais como atirarem-se de uma ravina, correr de focinho contra uma rocha ou comer cogumelos venenosos.
E, pior ainda, o método é falível, porque ainda vai havendo um ou outro condutor com bons reflexos e com atenção à estrada.
Além disso, não existe para defender os direitos dos humanos nenhuma Liga Dos Amigos Dos Automobilistas Que Se Desviam Dos Animais Para Não Os Matar E Que Consequentemente Se Espetam Contra Um Muro E Rebentam Com O Carro Todo (L.D.A.D.A.Q.S.D.D.A.P.N.O.M.E.Q.C.S.E.C.U.M.E.R.C.O.C.T.).
O que é injusto!
  • Page 1 of 2
  • 1
  • 2
  • >