“Bracarismos”

Novembro 30th, 2008
Quando me perguntam o que gosto mais na minha cidade, eu respondo muitas vezes que é o centro histórico, o Theatro Circo ou o Bom-Jesus.
É mentira.
Aquilo que realmente gosto e que torna esta cidade diferente, são as pessoas de Braga e as suas expressões idiomáticas ou a forma de falar.
Identifico-me automaticamente com alguém que se dirije ao meu grupo perguntando “Visteis o Braga ontem?”.
Da mesma forma, é usual sentir-me em casa quando me relatam uma desventura qualquer que começou “à hora do meio-dia” e cujo protagonista é um qualquer “térinho” que se cruzou com um “begueiro” qualquer.
O conforto de alma da palavra “begueiro”, quando bem aplicada, é indescritível para quem não a ouve regularmente desde a sua meninice.
Neste momento sou capaz de não me lembrar de todos os “bracarismos” que me enchem os ouvidos e a alma, mas vou concerteza voltar a falar deles.

Talento prematuro

Novembro 30th, 2008
Este rapazinho só tem 6 anos.
É indubitável o seu talento e a forma exímia e muito acima da média como lida com a bola.
O potencial está lá e é enorme, mas para se tornar um novo Zidane falta muito sumo, naturalmente.
O que me mete impressão é que este menino já perdeu o direito à sua infância precisamente por causa deste talento.
Já tem uma bolsa da Federação Francesa de Futebol e tem o Real Madrid e o Chelsea a disputá-lo.
Qualquer dia começam a contratar embriões ou espermatozóides com talento.