Utilidade pública de alguns cidadãos

Outubro 31st, 2008
Tenho desde tenra idade a teoria de que devia haver uma lei que consagrasse a utilidade pública de certas mulheres.
Era concerteza positivo para o País que mulheres como Soraia Chaves, Carla Matadinho, Rita Pereira, Cláudia Vieira, Raquel Loureiro, Diana Chaves e outras de adjectivação igualmente aeronáutica, estivessem disponíveis sexualmente, para a população masculina em geral concretizar as suas fantasias, enfrentar os seus receios, contornar os seus bloqueios.
Pensem comigo nas vantagens:
– Aumentava a produtividade das empresas (andava toda a gente contentinha e, provavelmente diminuíam as procuras na net e os mail’s de mulheres nuas).
– Diminuía concerteza o número anual de violações.
– Era uma maneira de pôr todos os homens a fazer exames regulares de saúde (factor indispensável para poderem aceder ao serviço), logo, melhoria do estado de saúde geral dos cidadãos.
– Reduzia a procura da prostuituição e baixava o preço desse mercado (que continuaria a ser ilegal e até deveria, a partir do início deste programa, passar a ser mais severamente penalizado).
– Descia o número de acidentes automóveis e de trabalho (porque os homens deixavam de sonhar acordados e de embasbacar completamente à passagem de uma mulher deste calibre).

Julgo que era importante que estas “Técnicas Oficiais de Sexo” (TOS) fossem pagas acima do nível dos gestores de topo das empresas públicas.
Por duas razões: primeiro para se sentirem recompensadas pelo seu desempenho, segundo porque os outros já andam a ser pagos para nos fo&€r e não nos dão nenhum prazer.

No início esta minha teoria era, confesso, bastante machista.
Mas hoje em dia já compreendo que isto só faria sentido se, da mesma forma, estivessem disponíveis os irmãos Guedes, o Rubin, o Paulo Pires e outros robustos espécimes masculinos (é-me mais difícil enumerar aqui e peço desculpa se estou a fazer mal as escolhas) para satisfazer as necessidades das nossas concidadãs.

Em sentido inverso, o estatuto de utilidade pública também podia ser usado na justiça.
Aqui, como forma de reprimir o banditismo, seria associada às penas a obrigação de satisfazer os desejos de algumas “carrascas” como Odete Santos, Ferreira Leite, Cláudio Ramos, Teresa Guilherme, Dina, José Castelo Branco ou Manuela Moura Guedes.

Para evitar uma longa lista de espera (porque seria espectável uma adesão massiva a este programa) era conveniente o recurso a TOS estrangeiras como Penélope Cruz, Tyra Banks, Salma Hayek, Angelina Jolie, Gisele Bündchen ou Scarlett Johansson para a área de saúde e Angela Merkel, Barbara Streisand, Rosie O’Donnell, Arantxa Sanchez Vicário ou Maria Mutola para o sistema judicial.

E pronto… está dada a minha importante contribuição de hoje.
Nada descabida pois não?

Sr. Primeiro-ministro

Outubro 30th, 2008
Hoje sonhei que era eleito primeiro-ministro.
Sempre pensei que nem nos meus sonhos o conseguiria.
Estou orgulhoso!

Frieiras

Outubro 29th, 2008
Com a entrada da hora de Inverno veio também o frio… muito frio.
O frio traz consigo, como de costume, os agasalhos, as constipações, os aquecedores, as gripes e as sempre incomodativas frieiras.
Lembrando-me delas, questionei-me sobre algo que nunca me tinha passado pela cabeça.
Como evitarão as freiras as frieiras?

Colin Farrell

Outubro 28th, 2008
Vi muito recentemente dois excelentes filmes com este (não menos excelente) actor.
Cassandra’s Dream é o último filme de Woody Allen, onde ele conta a história de dois irmãos com características de personalidade bastante distintas que, por uma gigantesca dívida de jogo por parte de um e pela enorme ambição do outro, decidem ajudar um tio endinheirado a livrar-se de um inimigo em potência. As dúvidas e conflitos emocionais e a interacção entre estes dois irmãos são o fio condutor deste filme. Excelentes interpretações, tanto de Colin Farrell como de Ewan McGregor.

O outro filme (In Bruges) ainda não estreou em Portugal e eu acredito que vá dar muito que falar porque é uma das melhores comédias negras que já vi.
Com um humor refinadíssimo misturado com romance, violência e burlesco em doses muito bem medidas, resulta num filme que será concerteza digno de múltiplos visionamentos.
A história desenrola-se em Bruges, uma cidade que parece ser o local menos provável para servir de refúgio a dois hitman cujo último trabalho correu mal.
É fantástico o rumo que a acção toma a partir desta base, e, não querendo avançar muito com a história, só vos digo que mete anões, droga, sexo, skin-heads mirolhos, tiros, corpos estilhaçados (disse corpos, não copos, mas também tem), gays, tentativas de suícidio, grávidas, roubos, agressões, prostitutas e ainda assim consegue ser tão ligeirinho que se vê com um sorriso do princípio ao fim.
Aconselho vivamente!
P.S. – Não me importava nada de ganhar 5 euritos por cada pessoa que me vier dizer que adorou este filme 😉

Mudança de hora de Inverno

Outubro 25th, 2008

Este é o dia do ano que eu mais gosto.

O meu aniversário é muito especial, o Natal a festa da família, o Carnaval divertidíssimo, o primeiro dia de férias um sossego, o Dia dos Namorados muito romântico, a Passagem de Ano uma explosão de alegria… claro que sim!
Mas neste dia em que o relógio atrasa uma hora sinto uma alegria especial que é difícil explicar.
A sensação de ganhar tempo, ainda que seja para o desperdiçar outra vez, é muito prazenteira.
É como se nos devolvessem o dinheiro de um bilhete de cinema para escolhermos outro filme, como se nos entregassem um voucher para repetirmos umas férias, como se o Super-homem desse uma voltinha no sentido contrário da órbitra da Terra para nos entregar de mão beijada mais uma hora de vida, como se o árbitro nos desse licença para marcar aquele pénalti falhado outra vez, como se nos voltassem a encher o copo de um Swirl de frutas.
O prolongamento de um orgasmo é capaz de ser uma alegoria exagerada, mas é para mim semi-orgásmica esta sensação de ser presenteado com mais uma singela horinha.
E, por isso, hoje sinto-me especialmente bem disposto.
  • Page 1 of 2
  • 1
  • 2
  • >